segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

A VOZ DO CORAÇÃO



TRIBUTO À MANA
Bartolomeu Miranda

Um dia ensolarado como ouro reluzindo,
amanhece para anunciar a chegada de uma
criança alegremente pedindo
passagem para cumprir sua
trajetória vitoriosa e altaneira.
Um tanto marcada pela debilidade orgânica,
fruto de uma herança familiar,
sempre se apegou à força de uma esperança
perseguidora da labuta no limiar
da responsabilidade e tenacidade sem precedentes.
Assim nasceu e cresceu Arlene Miranda,
desenvolvendo seu talento ímpar e inconfundível
para registrar a primeira jornalista alagoana
no meio literário, de desempenho incorrigível,
para orgulho e admiração de amigos e familiares.
Ao passar dos anos, esta brava guerreira mulher
se dedicou, de corpo e alma, aos encantos
da literatura e se tornou no seu diário mister
escritora e poetisa de trabalhos tantos
que a glorificam com certeza para a imortalidade.
Mas esta mulher, incansável e batalhadora,
também se manifesta como uma amiga,
filha, irmã, tia, sobrinha, esposa acolhedora
e docemente meiga na compreensão da vida,
razão maior dos nossos sentimentos de alegria e paz.
A nossa manifestação de admiração, orgulho e apreço
em poder contar com um convívio de merecimento,
especialmente mundial, atestando o seu valor de berço,
alardeando a precisão e o embelezamento
de suas obras impiedosamente ressonantes.

4 comentários:

Lys disse...

Parabéns pelas lindas, verdadeiras e singelas palavras que foram escritas para essa linda e doce mulher, poeta,amiga e irmã. Como irmão brotaram palavras doces como mel que chegaram até o coração do leitor.Tudo muito bem colocado e com certeza merecido.Parabéns!
Um forte abraço, Lys

Anônimo disse...

É, Lys, o coração do irmão falou mais alto. Eu também gostei muito do poema dele. E mais ainda por saber o quanto ele me ama. Nós nos amamos muito. Meu irmão é uma pessoa linda, inteligente, sensível, carinhoso. Agradeço a Deus, todos os dias, pelos irmãos que Ele me deu. São maravilhosos. E Bartolomeu é especial. Ogradeço a vc as carinhosas palavras. Você é muito querida. Um beijo. Arlene.

JAC disse...

O Bartô está se revelando, aliás, irmão de peixe sempre sabe nadar.
Isso me lembra um poema escrito por minha netinha aos 10 anos, dedicado
à irmãzinha de quatro aninhos cujo título é "Como é bom ter uma irmã". Um abraço para o autor e para a homenageada.
Zealberto

Arlene disse...

Zé, é o mano está se revelano bom poeta cada vez mais. Nese caso específico, creio que foi a voz do coração que falou mais alto. Ele é muito carinhoso com as velhas irmãs. E nós o adoramos. Grata por suas palavras. Você é um amigão. um abraço. Arlene.